Seguidores

17.12.11

CANAVIEIRAS 2011 - PARAÍSO DE PESCADORES e TURISTAS

CANAVIEIRAS 2011


110 quilometros abaixo da cidade de Ilhéus encontra-se a foz do Rio Pardo, onde em suas margens repousa a pequena cidade de Canavieiras, que se estende desde o rio até o mar. Pescadores locais ergueram uma imagem de Yemanjá às margens do rio, para protegê-los e trazer sempre fartura de pescados.

Em frente ao rio, mais de 30 casarões centenários enfeitam a paisagem local, com estruturas bem conservadas pela iniciativa privada. Alí estão lojas de artesanato, restaurantes, bares e negócios de pesca.


Quase todos os casarões foram inteiramente reformados e na parte superior
transformaram-se em confortáveis pousadas com ar condicionado, fogão,
geladeira e bastante espaço para os turistas aproveitarem suas férias no local.
Este ao lado, datado de 1890, foi onde ficamos.





Nas ruas traquilas da cidade, misturam-se casas restauradas com outras abandonadas e em ruínas.
A economia da cidade não permite aos moradores locais, o luxo de restaurar as casas antigas. As restauradas, pertencem em sua maioria a veranistas e pescadores da cidade grande.



Cores fortes enfeitam as casas restauradas iluminando a paisagem colonial.




GENTE DA TERRA

Os moradores  são simpáticos e atenciosos. A bicicleta é o meio mais comum de transporte e está por toda parte. Desde crianças até os mais idosos, pedalam pelas ruas de paralelepípedos.




reunião de trabalho





MAIS TIPOS LOCAIS



Olhando a vida passar



O povo se reune no cais à espera das lanchas que sairam para a pesca. Estavamos lá para a etapa do campeonato de  pesca que anulmente o Yacht Clube da Bahia promove em diversas cidades da Bahia.



O comércio, típico das cidades do interior, com centenas de lojinhas onde se encontra de tudo um pouco.
A imaginação e criatividade de alguns, economizam no aluguel de pontos fixos e vendem suas mercadorias em caminhões, variando sempre de local.






Uma história curiosa. A fachada da Delegacia de Polícia é cravejada de tiros. De acôrdo com um morador local, bandidos assaltaram um dos Bancos locais e depois saíram dando tiros pela cidade. Em frente a delegacía, gritavam o nome dos policiais e atiravam na fachada do prédio.

A PESCARIA

Estavamos lá para acompanhar a etapa de pesca oceânica, costeira e de bico (leia-se marlin).
Canavieiras é considerada o maior berçario de marlins azuis do mundo e também de robalos, porém esse último está cada vez mais escasso devido a pesca predatória  de redes e outros meios ilícitos. Na foz do rio, é difícil hoje encontrar algum robalo.
No segundo dia de pesca, a tripulação da lancha Bebinho, trouxe um marlin azul de 343 quilos, que deu bastante trabalho para pesagem e para iça-lo. Vejam:



Outros peixes foram um marlim de 199 quilos e um atum de 110 quilos, pescado pela lancha "namorada" que se estivesse no mercado de peixes do Japão, certamente iria ultrapassar os US$10,000.00 .


Dourados as dezenas. No final, todos os peixes são doados a população pobre do local, depois de cortados pelas peixarias locais.




E assim encerrou-se mais uma viagem a charmosa cidade de Canavireiras, onde após a saída dos visitantes/pescadores voltou a tranquilidade e a paz.

As folhas tranquilas continuaram a crescer nas portas que não se abrem.

Os fantasmas continuaram a habitar os casarões abandonados


A "limpesa pública" voltou ao trabalho


e, como cantava Ellis Regina, cabras pastavam solenes no meu jardim.


Canavieiras, dezembro 2011
Texto e fotos mm salles

3 comentários:

  1. Que beleza de fotos....Paraíso mesmo.
    Gostei imensamente do senhor vendo a vida
    passar...

    Beijos!!!

    ResponderExcluir
  2. Como seria bom se aqui em São Paulo fosse tudo
    tranquilo assim...estes casarios antigos me fascinam.

    Beijos!!!

    ResponderExcluir
  3. Arsenio Hypolito Junior19 de dezembro de 2011 09:26

    O tempo passa, meu irmão, e você fica cada vez melhor. Suas fotos são uma viagem pelo mundo das belezas, das harmonias, dos sonhos coloridos. Tenho orgulho em dizer a todos que você é meu amigo, do peito e principalmente de alma.
    Com amor, carinho e profundo respeito
    Arsenio

    ResponderExcluir